Entenda porque o monitoramento de mídias é essencial para sua empresa

monitoramento de mídias
4 minutos para ler

O monitoramento de mídias se relaciona ao acompanhamento dos clientes reais e monitoramento dos resultados alcançados por essa parceria. Trata-se de um diferencial competitivo para que, juntas, as duas partes possam mensurar com mais precisão o posicionamento e a reputação no mercado.

Esse monitoramento é eclético e engloba soluções puramente virtuais, como a verificação constante das redes sociais, até meios tradicionais de exposição, como as mídias abertas. Neste post, falaremos sobre essas diferentes formas de relacionamento entre empresa e cliente e a importância de cada uma delas. Acompanhe conosco!

Réguas de relacionamento entre empresa e cliente

Para concretizar negócios e estreitar o relacionamento entre empresas e clientes, são necessários contatos frequentes com esses consumidores. Tal contato é conhecido como régua de relacionamento.

Ela engloba todo o conjunto de ações que se iniciam nos processos iniciais de marketing e chegam até as etapas mais avançadas, em que a preocupação se concentra na retenção de clientes.

Para melhorar o relacionamento, as empresas costumam designar profissionais conhecidos como analistas especializados em sucesso do cliente. Eles se dedicam ao contato mais próximo, registrando as demandas e conscientizando seus consumidores em relação às novas tendências do mercado.

Monitoramento de mídias abertas

As mídias abertas, como a televisão, jornais e revistas, são veículos mais generalistas, em contraponto às opções segmentadas. Apesar do grande sucesso do marketing realizado pela internet, é uma boa ideia não negligenciar outros tipos de meios para expor e acompanhar os produtos e serviços dos clientes.

Essas mídias atingem um público extremamente heterogêneo, o que pode desestimular empresas que trabalhem com nichos específicos. Porém, esse argumento não conta a história toda: a verdade é que veículos como a televisão atingem um público ainda majoritário em relação à internet.

Em uma pesquisa recente da Anatel, os estudiosos relataram que os grandes grupos de telecomunicações do país seguem com a maior representatividade no mercado nacional, mesmo com o avanço da banda larga.

Acompanhamento de redes sociais

Aqui, temos aquela que é, talvez, a principal forma de acompanhamento de clientes reais. De forma geralmente gratuita, é possível acompanhar a aceitação por parte dos clientes em relação a uma determinada marca, suas avaliações e interagir diretamente com essas pessoas.

Uma métrica simples e eficiente é representada pelo número de menções à marca, que pode ser pesquisada de forma prática por qualquer colaborador. Redes sociais, como o Facebook, também costumam gerar campanhas de ampliação de base de público, que levam o número de likes em consideração.

Business Intelligence

Tanto as empresas como as pessoas físicas deixam um rastro digital toda vez que acessam a internet. É aí que entra o Business Intelligence (BI): ele analisa um grande volume de dados e estabelece padrões e tendências de consumo.

Isso faz com que as estratégias de marketing da empresa se tornem direcionadas e focadas. Enquanto o Big Data se relaciona a coletar dados que podem produzir conteúdo relevante para a organização, o Business Intelligence é mais objetivo e garante que o que foi coletado produza informações práticas para o negócio.

Como podemos ver, o monitoramento de mídias pode ser realizado por ferramentas diversas, combinando tecnologia de ponta, como o BI, a formas mais orgânicas de monitoramento. O objetivo final é desenvolver inteligência de mercado e acompanhar as preferências dos clientes, gerando serviços e produtos sempre atrativos.

E aí, gostou do artigo? Então, continue conosco e conheça as 5 principais ferramentas de BI nas pesquisas qualitativas!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-